23.8.09

un chien andalou, luis buñuel e salvador dali



(imagem de un chien andalou de salvador dalí e luis buñuel)


quando chegou a paris em 1925, luis buñuel era um completo desconhecido. vindo de madrid, da universidade, onde tinha conhecido salvador dalí e federico garcia lorca, buñuel tinha decidido partir para paris, a capital cultural da europa, o palco de um dos movimentos artísticos mais inovadores do século xx: o surrealismo.

em 1926, iniciou-se no mundo da sétima arte trabalhando com o realizador jean epstein, assistindo-o na realização do filme mauprat. seguidamente, trabalhou com mario nalpas (la sirène des tropiques), novamente jean epstein (la chute de la maison usher) e... salvador dalí.

a primeira ida de salvador dalí para paris foi em 1926, altura em que conheceu pablo picasso, a quem reverenciava. no entanto, ainda não se tinha consagrado definitivamente no palco surrealista, o que viria a acontecer quando se uniu a buñuel para concretizar uma das obras cinematográficas mais geniais da história da sétima arte: un chien andalou. corria o ano de 1929.

não vou falar do filme, vou apenas partilhá-lo pois ele encontra-se online, à disposição de todos. tentem não o compreender até porque a arte surrealista não é uma arte da compreensão, mas sim da descoberta e da sensação. uma arte do subconsciente e da matéria com que são feitos os sonhos.

jorge vicente



5 comentários:

chevry disse...

Tenho um texto que fala numa cena passada enquanto o filme passa num ecran de computador. A cena não é surrealista. A ser, será neo-realista, talvez. O filme existe na cena porque o texto é cru e directo. O filme traz-lhe o subconsciente que falas. A parte onírica.

L. Rafael Nolli disse...

Meu camarada, um filme intrigante, recomendadíssimo. Vi e revi esse ano a obra que sempre me impressionaa muito. Abraços.

Teresa David disse...

Vi o filme mais de uma vez largos anos atrás mas ficou-me sempre na memória algumas imagens inesqueciveis.
Bjs
TD

jorge vicente disse...

Um filme fortíssimo, meu camarada!

Grande abraço
Jorge

jorge vicente disse...

como a cena famosa do corte do olho :)

um abraço, amiga
Jorge