11.1.09

o amor é um acto político



(fotografia de robert doisneau, "kiss by the hotel de ville", 1950)


"A verdadeira felicidade deve ser ganha aprendendo a amar com uma elevação de espírito tal que se alcance o poder de fazer frente à tristeza... Superar o amor antigo com um novo amor ainda maior" (1)

benedetto croce


(1) CROCE, Benedetto apud SIEGEL, Bernie S. - Amor, medicina e milagres. 1ª ed. Lisboa: Sinais de Fogo, 2004. ISBN 972-8541-47-3. pg. 164.



Segundo a minha opinião, esta frase é muito bonita e faz todo o sentido para mim. Estou numa fase em que reencontrar o amor é prioritário, seja esse amor o amor entre homem e mulher, o amor entre amigos, entre familiares, o amor por nós próprios e pela humanidade. Mais do que nunca, acho que a nossa frase de vida deveria ser aquela que Rolando Toro disse hoje, no 1º dia do maravilhoso workshop de biodanza que está a facilitar no Parque das Nações: "O amor é um acto político"

8 comentários:

Maria João disse...

"O amor é um acto político", sim! Esta belíssima frase de Rolando Toro vem ao encontro do que tu disseste, há pouco, na lista Amante das Leituras, lembras-te?
Amigo, o amor é o único acto político que pode curar as feridas do mundo, provocar a mudança de estruturas, construir a paz, combater o egoísmo, esta monstruosa caricatura do homem... A incapacidade de amar fomenta a guerra, provoca situações de injustiça e sofrimento inimagináveis, torna-nos tacanhos e mesquinhos. Não compreendemos a história nem o próprio tempo.
Não é através da guerra, mas sim de uma cultura de paz que é possível encontrar soluções justas para o conflito israelo-palestiniano, por exemplo.
Todos os homens desejam ser felizes, mas não são suficientemente inteligentes para perceberem que só o Amor resolve os problemas e constrói uma Paz autêntica. Se eu não fizer aos outros o que não gostaria que fizessem a mim, estou a cometer um acto político que, nos dias de hoje, é cada vez mais necessário e urgente. E a nossa vida muda radicalmente, quando se faz esta escolha.
Jorge, no que diz respeito à relação homem-mulher, desejo que encontres aquele amor que liberta, que não domina o outro, que não o sufoca... Um amor inteligente que conhece o outro e a ele se doa. Um amor completo, ou seja, aquele que é uma mistura destas três dimensões: eros, philia e... ágape.
Hoje são ignorados muitos sentimentos importantes, como por exemplo, a ternura e o altruísmo, o que leva à despersonalização e à banalização do amor.
Amigo, que possas encontrar o amor em todas as suas vertentes! Bem o mereces!...
Pedindo desculpa por me ter alongado tanto, envio um grande abraço para ti.
Maria João Oliveira

Carla disse...

não sei se é político ou não, mas entendo que a política é tudo o que faz parte da vida, então sim é um acto político...mas mais do que isso é um acto de vida.
Quanto à imagem...uma das minhas favoritas, nem os anos apagam a sua beleza
beijos e boa semana

Graça Pires disse...

Oxalá encontres esse amor que procuras...
Um abraço.

Arabica disse...

Jorge,


Segundo li há uns tempos, há dois géneros de pessoas, as que se movem por poder e as que se movem por amor. Desta forma, o amor só pode ser um acto politico.

Às vezes, absoluta e politicamente contra poder...

Abraço e que realizes todos esses belos projectos de Amor :)

Lord of Erewhon disse...

E eu até diria que é parque dos «recursos naturais» das nações...

Abraço.

Lord of Erewhon disse...

Errata: «parte».

Luis Eme disse...

é um acto político porque mexe com o mundo, faz-lhe bem...

abraço Jorge

jorge vicente disse...

realmente, amiga, tudo o que tu dizes faz sentido e eu já sabia! como já disse a arabica, o amor é um verdadeiro contra-poder.

e nós, os verdadeiros amantes deste mundo, os caminheiros, os biodançantes, aqueles que têm (ou esperam ter) um sorriso neste mundo são o contra-poder mais forte que existe.

porque o único sempre fiel, o único que confia sempre no seu coração!

um grande abraço
jorge