9.1.09

novamente a culpa e a responsabilidade



(quadro de frances scholz, "D'04, 06", 2004)


"No entanto, a maioria das doenças em uma componente psicológica e a percepção da participação e responsabilidade da pessoa no processo de doença é completamente diferente da condenação ou culpabilidade. É evidente que poucos querem realmente uma doença que ponha a vida em risco, mas normalmente funciona como uma mensagem para mudar ou dá aos doentes algo que não estão a obter das suas vidas. Conforme disse Carl Simonton: «Acredito que contraímos as doenças por razões respeitáveis. É a forma de o nosso organismo nos dizer que as nossas necessidades - não só as do corpo mas também as emocionais - não estão a ser preenchidas, e que as necessidades que são preenchidas através das doenças são importantes.»" (1)

bernie s. siegel


(1) SIEGEL, Bernie S. - Amor, medicina e milagres. 1ª ed. Lisboa: Sinais de Fogo, 2004. ISBN 972-8541-47-3. pg. 156.

3 comentários:

a mesa de luz disse...

pois concordo plenamente!

Arabica disse...

Numa fase em que tinha frequentes constipações e dores de cabeça, um amigo perguntou-me de chofre, se eu era feliz.


A partir daí (e já foi há muitos anos) sempre que me constipo, paro para pensar...


Beijinhos e bom fm de semana

romério rômulo disse...

jorge:
vim me atualizar.um abraço.
romério