27.1.12

o que é perfeito?



(fotografia de david octavius hill e robert adamson, "child lying down, master hope finlay", 1845)


"Uma árvore não é menos perfeita por ser uma semente. Um bebé pequenino não é menos perfeito que um adulto. É a própria perfeição. Por não poder fazer nada, por não saber nada, não se torna menos perfeito em qualquer aspecto.

Uma criança comete erros. Põe-se em pé. Bamboleia. Cai. Põe-se novamente de pé, um pouco vacilante, agarrada à perna da mamã. Isso torna a criança imperfeita?

Digo-te que é precisamente o contrário! Essa criança é a própria perfeição, inteira e completamente adorável.

Assim és tu, também." (1)

neale donald walsch


(1) WALSCH, Neale Donald - Conversas com Deus: livro 2. 5ª ed. Cascais: Sinais de Fogo, 2002. ISBN 972-8541-10-4. p. 58.

4 comentários:

Sandra Botelho disse...

A perfeição está na alma...Bjos achocolatados

jorge vicente disse...

A perfeição está em todo o lado :)

Muitos beijos, amiga!

Jorge Vicente

RUTE disse...

Querido amigo,

desde que publicaste este excerto que tenho vindo, sistemáticamente, lê-lo e relê-lo.

Em cada rereleitura, o texto desdobra-se e o entendimento expande-se.

De facto, buscar a perfeição é buscar a inteireza. Aceitar nosso lado lunar, não ter receio de nos expormos, assumirmo-nos inteiros. Autoconhecermo-nos de frente para trás, de trás para a frente, em todos os ângulos, refrações, reflexões, projecções, superficialidades e profundidades.

Assim é a criança que não teme o ridiculo, não se incomoda com o padronizado. A criança que se levanta a cada queda, que volta a tentar a cada experiência falhada. Ela é um SER inteiro, e não menos perfeita por isso.

Obrigada por estes momentos de partilha.
Beijinhos.
Rute

jorge vicente disse...

Obrigado eu, querida Rute, pelas tuas também muito belas partilhas.

Este fim-de-semana tive uma maratona/workshop de aprofundamento em biodanza. Dancei a água e o fogo. Especialmente o segundo elemento, foi um pouco difícil e descobri em mim elementos que ainda precisam de ser trabalhados. Mas isso também é bom: trabalho a minha inteireza, trabalho a minha capacidade de me autoconhecer cada vez mais e melhorar, evoluir cada vez mais.

Muitos beijinhos para ti!
Jorge