25.7.09

as orações do pai-nosso e da ave maria segundo a perspectiva de ishi



(pintura de milton avery, "crucifixion", 1946)


"Naquela igreja rezou-se um rosário. Estive atento às duas orações, ao «Pai Nosso» e à «Avé Maria». A primeira é linda e incrementadora da consciência, obra do iluminado Jesus; «venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade.» O Universo e a sua Lei Universal, também o Dharma como vontade transcendente.

Jesus também nos lembrou de outra coisa: «Deus é Amor». E se o amor é a essência de Deus, encontraremos e perceberemos Deus vivendo o amor.

A segunda, a «Avé Maria», é nitidamente obra do homem comum, do homem da igreja, do seguidor e não do discípulo, do que teima em nada aceitar, aprender e compreender. A sua primeira frase é simples graxa para meter uma cunha. «Bendita sois vós entre as mulheres, bendito é o fruto do vosso ventre». Enche-se o ego de Maria, como qualquer mulher comum, para passar ao cravanço que se segue: «Rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte.»

Pecadores? Rogai por nós? Pecadores por termos Deus omnipresente no meio de nós? Por sermos feitos à sua imagem e semelhança? Quem se está a julgar, Deus? Rogai por nós? Não somos, por acaso, responsáveis por nós próprios?

Fazemos mal a nós próprios e aos outros, tentando depois safar-nos metendo uma cunha precedida de graxa? No fim, vemos uma cultura, a nossa, de seres que só se tornam religiosos quando estão em aflição." (1)

ishi


(1) ISHI - Karma e Reencarnação. Carcavelos: Angelorum, 2003. ISBN 972-8680-73-2. pg. 75, 76.

4 comentários:

Manuel L. Rodrigues disse...

Jorge: Este Karma e Reencarnaçao é um livro seu???

jorge vicente disse...

claro que não, manuel. o autor está referenciado: chama-se Ishi.

Luísa Ataíde disse...

ISHI que me perdoe mas, Maria não foi uma mulher comum. Mulher comum não receberia a missão que ela recebeu. Intercede sim por nós todos, ou teria subido aos céus para viver na ociosidade? Sugestão de Leitura; Maria de Nazaré- João Nunes Maia, Editora Fonte Viva.

jorge vicente disse...

acho que a crítica, luísa, não é tanto sobre maria, mas sim sobre a Igreja que insiste em nos considerar pecadores e não seres de luz.

a força de Maria está bem acima de qualquer oração.

um grande abraço
Jorge

P.s.
de qualquer maneira, é sempre bom lermos opiniões diferentes :)