6.2.09

in nomine



(fotografia de sky bergman, "55 da série the naked and the nude", 1990)


por entre as oliveiras,
dois corpos estendidos
e assumindo o brilho
do véu que o olhar
do anjo esconde.

é noite e antevejo nos
olhos o sereno murmurar
do deus em fogo.

jorge vicente

9 comentários:

alice disse...

como é que se escreve um poema em chamas, querido amigo? um beijo *

jorge vicente disse...

com os braços em vulcão, querida amiga.

um beijinho

Teresa David disse...

Intenso e contudo diáfano ao mesmo tempo, tu consegues esta façanha neste belo poema.
Obrigada pela visita.
Bjs
TD

jorge vicente disse...

ainda bem que gostaste, amiga.

intenso e diáfano deveriam ser todos os belos poemas!...

um grande beijinho
jorge

M. disse...

é ardente. mesmo ardente, mesmo sem ser noite. como o divino.

Um beijinho jorge

jorge vicente disse...

obrigado, marta.

fossem todos os poemas ardentes como o divino...

um grande beijinho
jorge

Dani Ribeiro disse...

Oi Jorge,

muitas coisas pra te dizer...

salve teu nome jorge, obrigada pelas gentis palavras, pela visita as minhas fotos (confesso que é onde tenho me encontrado ultimamente, além das palavras), coltrane... ah, coltrane... escute Bessie Smith também... nos revive! e teu amigo Cássio, pessoa também de gentileza imensa.

vou ficar por perto!

meu link do flickr pra caso voce queria ver as fotos numa disposição mais confortável http://www.flickr.com/photos/daniribeiromeninachora/

Um Grande beijo! Manteremos contato!

p.s.: pode vir ao Rio, está convidado pra um fim de tarde com café quente!

romério rômulo disse...

jorge:
venho me atualizar.
um abraço.
romério

jorge vicente disse...

ah, dani! tão belas as suas fotos. e que vontade de conhecer aquela casinha de minas gerais que tu fotografaste!!!

um grande beijinho, minha amiga.
jorge

p.s.
tenta ouvir também ma rainey.