5.1.09

cancro e sentimentos de culpa



(fotografia de andreas gursky, "hamm, bergwerk ost", 2008)


"Alguns doentes de cancro também têm fortes sentimentos de culpa. Culpam-se a si próprios, assim como muitas crianças que adoecem e julgam que a doença é um castigo por se portarem mal. Embora não seja ideal, esta atitude não é totalmente destrutiva por conduzir frequentemente a uma noção de participação mais realista no começo da doença. De facto, uma grande quantidade de investigação efectuada em pessoas que sofrerem catástrofes provou que aquelas que sentem que contribuíram para ela (mesmo que não tenham contribuído) ultrapassam mais facilmente o trauma do que as que se sentem totalmente desamparadas" (1)

bernie s. siegel


(1) SIEGEL, Bernie S. - Amor, medicina e milagres. 1ª ed. Lisboa: Sinais de Fogo, 2004. ISBN 972-8541-47-3. pg. 147.

9 comentários:

Arabica disse...

Jorge

o envolvimento na doença, o assumir da mesma, o ser parte de, ajuda a reagir, a acordar dentro de nós o tal instinto...julgo...


Como vitimas de, não conseguiremos nunca vencer a causa.


Beijos

jorge vicente disse...

é verdade, arabica.

como o bernie siegel disse, culpar-nos não é a melhor opção. mas assumir as nossas responsabilidades, assumir que estamos assim, frágeis é sempre um acto de instinto.

e isso tanto vale para o cancro como para o dia-a-dia. as pessoas não sabem assumir as suas fragilidades.

um grande beijinho
jorge

Carla disse...

uma forma de encarar esta doença que tanta gente afecta...infelizmente já tive casos de familiares que morreram de cancro e sei o que sofreram e como esta doença pode ser destrutiva
beijos e um bom ano

mié disse...

a culpa mata.

aceitar é a chave para se conviver bem com a doença, seja ela qual for.


um beijo

jorge vicente disse...

concordo plenamente contigo, mié.

resta encontrarmos essa aceitação

um grande beijinho
jorge

Bandida disse...

interessante. mas esta coisa da culpa deixa-me sempre com enorme desconforto.


um excelente 2009, meu querido amigo!

Arabica disse...

A culpa cava dentro de nós o sentimento de que não fomos capazes de, ou por falta de cuidado ou por falta de oura qualquer coisa...se permitirmos que a culpa rasgue os nossos alicerces, cairemos no abismo...

O equilibrio reside em orientarmos racionalmente culpa e acaso, de forma a aceitarmos o problema que temos pela frente...

E sabermos que ninguem nasce ensinado e sabermos que h´tantas formas de estar "doente" neste mundo...

Beijinho

Luis Eme disse...

e esta?

(mas não sei não... a culpa costuma derrotar...)

abraço

jorge vicente disse...

achei interessante colocar esta frase justamente por ser o contrário do que muita gente diz.

claro que a culpa mata. mas ainda mata mais esconder essa culpa e não deitar cá para fora aquilo que nós sentimos).

um abraço a todos
jorge