22.1.09

alain resnais, corações (coeurs)



(cena de coeurs, de alain resnais)


alain resnais é um dos grandes nomes da cinematografia francesa. com já 86 anos, continua em plena forma e a oferecer-nos verdadeiras pérolas da sétima arte. com este coeurs, conta várias histórias, interligadas entre si, com cada uma das personagens a decidir o rumo que outra iria tomar, mesmo que mal se conheçam. se por um lado, temos thierry, o agente imobiliário que tem dificuldades em arranjar uma casa com três assoalhadas para clientes difíceis, por outro temos lionel, o barman que passa a sua triste vida cuidando do pai. mas o melhor é verem: descobrirem as outras histórias, relembrar que ainda se fazem bons filmes e que o exemplo de john huston se mantém bem vivo. para quem ainda não sabe, uma das obras-primas de huston foi justamente feita no final da sua vida, o maravilhoso gente de dublin (no original, the dead).



(cena de Coeurs)

Jorge Vicente

P.S.
Como extra do DVD, vocês podem assistir a vários episódios do muito interessante programa de televisão As Canções que Mudaram a Minha Vida, um programa religioso francês que era amado por Charlotte, uma das personagens do filme. Os convidados do programa são fabulosos e os diálogos ainda mais interessantes, fazendo-nos reflectir sobre a verdadeira natureza da religiosidade e do ser espiritual.

5 comentários:

a mesa de luz disse...

É um grande filme, de todas as maneiras que se olhem e mais algumas, vale a pena ver e voltar a ver. E calmo, seguro, sem stress. Saber fazer cinema.. beijinhos

Rui Luis Lima disse...

Resnais oferece-nos um verdadeiro vintage do seu cinema, com alguns actores da sua casa, que nos deixam perfeitamente apaixonados pelo seu cinema. Uma obra mais-que-perfeita, que nos aquece as noites frias de inverno, desses farrapos brancos de neve que teimam em cair nos corações das suas personagens.
Abraço cinéfilo
Rui Luís Lima

jorge vicente disse...

e que farrapos! e que corações! e que cinema!

um grande abraço aos dois
jorge vicente

Bandida disse...

é por dentro que somos. sempre por dentro. ninguém jamais imaginará a cor.


um enorme abraço meu querido amigo!

Arabica disse...

Boa escolha Jorge!


E obrigada pelos extras.


Um bom fim de semana, beijo