7.12.08

cultura masculina e feminina, parte 2



(quadro de erich heckel, "frauen am wasser", 1927)


"De facto, a mulher, não por ser mais fraca, ou menos capaz, mas simplesmente por ser potencialmente mãe, é obrigada a orientar a sua vida dentro da sociedade de acordo com as necessidades resultantes da maternidade.

Primeiro são as consequências primárias, ou sejam as biológicas, depois tudo aquilo que a maternidade implica no plano social, porque a mãe, além de alimentar, proteger e guiar os filhos nos primeiros tempos, tendo em vista a sua sobrevivência, tem ainda a missão de ser a primeira transmissora da herança social do grupo a que pertence." (1)

a. jorge dias



(1) DIAS, A. Jorge - Conflitos de cultura. Estudos de Ciências Políticas e Sociais. Lisboa. Vol. 51 (1961), p. 112.

1 comentário:

FABIANA BORGIA disse...

É verdade. O papel da mulher é extramamente forte na formação da cultura de uma sociedade. Cultura em sentido amplo, abrangendo educação, ética, forma de enxergar o mundo e implementá-lo. Claro que não posso culpar as mulheres por alguns erros cometidos pelos homens, pois homens e mulheres fazem parte do social. Mas sem dúvida, a mulher educa o homem. O que falta ainda é o papel de homem-educador. O homem ainda assume aquele velho papel de macho. Acredito que os casais que educam juntos os filhos têm muito mais chance de estabilizar novamente as relações familiares, tão desacreditadas nos tempos de hoje.