8.9.08

Os Quatro Elementos



(fotografia de henry moore, "cavern", 1973)


3.

"Whatever is said, the same monotonous noise replies, and quivers up and down the walls until it is absorbed into the roof. "Boum" is the sound as far as the human alphabet can express it, or "bou-oum," or "ou-boum," utterly dull. Hope, politeness, the blowing of a nose, the squeak of a boot, all produce "boum." (2)

havia apenas uma gruta
e o temeroso som

um eco que entrava e entrava
e se fundia à pele
como se todos os seres,
homem e mulher,
fossem parte da pedra
e a queimassem
e a devorassem
com os dedos,
com o sexo,
com a luminosidade escura
e frágil do verbo
que preside ao chão.

a mãe segura no filho e apenas
diz:

boum.

jorge vicente



(2) FORSTER, E. M. - "Excerto de Passagem para a Índia" [Em Linha] [Consult. 08 Set. 2008]. Disponível em: http://www.ralphmag.org/EB/passage-india.html.

6 comentários:

Um Novo Olhar disse...

Os seus poemas e todo o conteúdo do seu blog é para mim uma passagem secreta, onde o som se eleva em vibrações para um despertar de uma nova consciência. Um curso em Milagres....tive o prazer de conhecer a sua existência há já algum tempo, mas sem tempo ainda, ou disponilidade e / ou capacidade para me embrenhar nele.

beijos

Dolores

Cássio Amaral disse...

Muito bom brother, poema bem escrito e construção perfeita.

Te mandei meus livros que coloquei em pdf no seu email.

Vamos nos falando.

Grande abraço.

Muita luz.

P.s. Tenho um grande amigo e irmão que mora aí em Portugal,Guilherme de Almeida N. do Amparo.

Muito obrigado pela tua força!

Poesia é dionísio com Apolo,mas sem cerveja não dá. E Conferência de poesia é sacal demais, muito chato porque os acadêmicos não conseguem impactar.

Inês Leitão disse...

um eco, um boom.

A Mesa de Luz disse...

nice !!!!!!!!! gostei muito bro..

sagher disse...

apetece-me dizer:
"one more cup of coffee for the road"
bob dilan

batista disse...

escrita forte e bela. parabéns!

deixo um abraço fraterno.