20.8.07

The Tingler (William Castle)



(imagem do trailer de The Tingler, de William Castle)

Confesso: nunca vi nenhum filme de William Castle, para além deste The Tingler (1959), o filme que vi ontem em DVD. O que é de estranhar, já que William Castle é um dos nomes incortonáveis do cinema de terror dos Estados Unidos. Filmes como House on Haunted Hill(1959), 13 Ghosts (1960), Mr. Sardonicus (1961), Homicidal (1961), Strait-Jacket (1964), I Saw What You Did (1965), Rosemary's Baby (como produtor, 1968) e alguns outros são apenas alguns dos exemplos.

Os seus filmes eram de baixo orçamento, apesar de serem ambiciosamente promovidos. Um dos exemplos mais divertidos foi o filme The Tingler. Quando o filme estreou, foi colocada uma caixa gigantesca à porta do cinema, dentro da qual estaria um pequeno verme desejoso de sangue e morte. As pessoas iam em magotes só para ver a caixa. Para além disso, também o próprio filme gozava um pouco com a audiência. No início do filme, William Castle aparece a avisar a audiência que irão sentir arrepios, calafrios, pequenos espasmos de medo e que a única solução seria gritarem. Se não gritarem, The Tingler poderia matá-los. De facto, uma das premissas do filme seria que existe um pequeno verme dentro de nós, verme esse que está dentro da nossa coluna e que despoleta o efeito calafrio (tingler effect) quando sentimos medo. A única maneira que temos para nos libertar do organismo estranho seria gritarmos. Nesse filme, o médico Warren Chapin, interpretado pelo grande actor Vincent Price, está a investigar esse efeito e pensa que deverá mesmo existir um organismo vivo que possa despoletar esse efeito dentro de nós. Consegue, mais tarde, isolar o pequeno animal quando uma das suas pacientes morre. Porém, o bicho escapa-se e provoca o terror.



(imagem do filme)

Em suma, um filme interessante numa época em que os filmes de terror não se preocupavam tanto em agradar a gregos e troianos, em que o prazer do cinema e da experimentação era mais forte do que o apelo das massas. Porém, William Castle concerteza que não será o exemplo mais perfeito desse tipo de realizador já que The Tingler tem um brilho comercial em todos os seus poros. Mas é interessante, divertido e ajuda a passar bem a noite. Para quem quiser a experimentação e o apoio a jovens promessas, recomendaria Roger Corman. Bu!

Jorge Vicente

2 comentários:

Maria P. disse...

Não, não estes filmes eu passo!

Bu!
:)

Lumife disse...

Caro amigo vim espreitar e ler um pouco o que tão bem apresentas.

Um abraço