15.6.12

Questionamento...



Questionar é reflectir sobre, encontrar modos alternativos de encarar um problema determinado seja esse problema relacionado com o amor, o trabalho, as nossas dificuldades financeiras, o nosso posicionamento em relação ao mundo e em relação a nós mesmos. É uma excelente oportunidade para largarmos, deixarmos fluir no oceano do Vivo tudo aquilo que não nos interessa ou, também, solidificarmos mais ainda aquilo em que acreditamos.

Questionar é aprender e uma nova oportunidade que a vida nos dá em repensarmos tudo o que já foi conquistado. Encontrarmos novas armas para enfrentar um determinado problema. Indagar esse mesmo problema e perguntar-lhe: o que fazes aqui? O que tens para me ensinar? Ou para não me ensinar?

Dizem que, em matéria de amor ou de paixão, tudo deve ser questionado. Permanentemente. O próprio olhar no olho é um questionamento diário e uma oportunidade básica para repensarmos a nossa humanidade permenantemente. Descobrirmos o porquê de estarmos aqui e agora com esta mesma pessoa. E isto apesar do porquê, no próprio acto de olhar olhos nos olhos, não ser absolutamente necessário. Necessária é a vivência de estar aqui e agora, sem perguntas, sem interpretações - as respostas aparecem de repente, como um insight poético. E o questionamento e a resposta a esse questionamento faz-se sentido do corpo, faz-se certeza, faz-se no instante.

E quando digo que esse questionamento se faz em relação ao amor, também se faz em relação às nossas paixões: escutemos o que as nossas paixões têm para nos dizer, olhemos-nas de frente e indaguemos. Sentirei sempre o que sinto e da mesma maneira? Aceitarei sentir de forma diferente? Estará certo sentir de forma diferente? O certo de hoje será o errado de amanhã? Onde ficarão as nossas certezas e as nossas dúvidas?

A resposta sempre virá. Absolutamente. Nós é que, provavelmente, não conseguimos percebê-la. Ou serão várias respostas, consoante a nossa condição e o nosso momento existencial.

Jorge Vicente

P.S. Este post pertence à 4ªfase, BC Amor aos Pedaços. Mais informações no blog da Rute, da Rô ou da Luma.)

12 comentários:

pensandoemfamilia disse...

Questionamento é a forma como o ser humano busca crescer. A vida se faz nas descobertas desde o momento que nascemos e os questionamentos são fontes de evolução pessoal e interrelacional ou não ???
bjs

jorge vicente disse...

Claro que sim!!!!

Muitos beijos para si!
Jorge Vicente

Anónimo disse...

Jorge querido,

No amor tudo deve fluir naturalmente, porque os sentimentos devem ser vividos.....se transformando e amadurecendo de forma que possam transcender qualquer questionamento.
Quanto mais expandimos nossa consciência e levamos a vida com mais leveza, tudo se torna mais fácil.
Questionar é bom e faz parte do ser humano como "ser" pensante que é......mas viver o momento "presente" sempre com muita confiança e fé, nos faz ultrapassar limites e energias que nos aprisionariam em relacionamentos infelizes.
Felicidade é HOJE e AGORA, desfrutando cada "momento" como "único" e "precioso".

Tenhas um Maravilhoso domingo!!!
Grande beijo em seu coração!!!

jorge vicente disse...

Minha querida Lú,

completamente de acordo contigo. Mais do que questionar é viver o momento presente, aqui e agora, sem questionar estando apenas presente.

E isso é uma dádiva maravilhosa de vida que nós temos.

Beijinhos para ti, minha amiga!
Jorge

RUTE disse...

Olá querido amigo,
aceitar o aqui e agora parece-me muito bem. Adoro concentrar as energias no presente. Mas por vezes sinto necessidade de perceber o presente revisitando o passado.

E digo revisitar porque não estou lá (no passado). Pois conheço algumas pessoas que vivem fragmentadas entre o passado, presente e ânsia do futuro.

Um grande questionamento será por exemplo: até que ponto o passado me será útil para discernir o presente?
Até que ponto, projetar um futuro me pode ser útil para impulsionar o presente?

E é melhor não dar mais corda à tola, porque eu tenho tendência para filosofias infindáveis :)
Beiiiiiiiiiijo!
Rute

jorge vicente disse...

Sim, tens toda a razão, minha amiga.

Isto também de viver o presente tem que se lhe diga. Quando o presente não é muito bom, o que fazer? Viver a dor? Viver as situações no dia-a-dia completamente no presente, sem stressar e sem pensar num futuro que se queira bom e mais com paz?

Digo-te isto porque este último mês tem sido terrível: faz-me desejar por tanta paz que, às vezes, os únicos momentos em que consigo viver no presente é quando danço ou quando escrevo ou quando me permito sentir um pouco a brisa...

Neste momento, apenas quero paz e tranquilidade... respirar...

Muitos beijinhos
Jorge

Suu Munizz disse...

Oi Jorge,
Muito bacana o post,bela participação!
Realmente o questionamentos está presente em cada parte do nosso dia,começa quando olhamos no olho de alguém diariamente,pois quando nos conhecemos se o olhar muda,percebe-se.
Uma ótima semana,abraço,=)

jorge vicente disse...

Obrigado, querida Suu!!!

Muitos beijos para ti!!!!

Jorge

Luma Rosa disse...

Adorei: "próprio olhar no olho é um questionamento diário e uma oportunidade básica para repensarmos a nossa humanidade permenantemente".

As certezas, paradoxalmente, podem ser mais enganosas que os questionamentos, pois estes, pelo menos garantem que a busca continuará :)

Jorge, somente agora pude chegar ao seu blogue e constatar a lindeza de reflexão que fez. Eu estou cá com meus botões, como sempre questionando.

Boa semana!!

jorge vicente disse...

Muito obrigado, minha querida amiga!

Boa semana também para si e muitos beijinhos!!!
Jorge

Orvalho do Céu disse...

Olá, Jorge
Desculpe-me a demora... estava numa causa nobre que venho vivendo há 3 meses...
O seu post é sempre bem colocado e a imagem já é instigante por si só...
Os questionamentos que fazemos, se os encaramos de frente, nos dizem muito e nos elucidam, paralelamente, muitas questões nossas.
Seja feliz e abençoado!!!
Abraços fraternos de paz

jorge vicente disse...

Amiga,

só tenho que agradecer-te pelo teu comentário!!!!

Mil beijos e um domingo muito abençoado para ti!!!!

Jorge