5.1.12

o tempo para neale donald walsch



(fotografias de albano afonso, "lago I - polyptych", s/d)


"O «tempo» não é uma série contínua. É um elemento da relatividade que existe verticalmente, não horizontalmente.

Não penses nele como uma coisa «da esquerda para a direita» - uma chamada linha de tempo que decorre do nascimento até à morte para cada indivíduo, e de um ponto finito para outro ponto finito do Universo.

O «tempo» é uma coisa de «altos e baixos»! Pensa nele como um fuso, que representa o Momento Eterno de Agora.

Agora imagina folhas de papel sobre o fuso, umas sobre as outras. Estes são os elementos do tempo. Cada elemento separado e distinto, contudo existindo cada um simultaneamente com o outro. Todo o papel no fuso ao mesmo tempo! Tanto quanto alguma vez haverá - tanto quanto alguma vez houve..." (1)

neale donald walsch



(1)WALSCH, Neale Donald - Conversas com Deus: livro 2. 5ª ed. Cascais: Sinais de Fogo, 2002. ISBN 972-8541-10-4. p. 55.

8 comentários:

Fa menor disse...

O tempo... e o que fazemos com(/d) ele...

Bj

jorge vicente disse...

E o que fazemos com ele e com nós...

Beijos, minha amiga :)
Jorge

Conceição Paulino disse...

também gosto de ler esta autor. Muito claro e esclarecedor. Uma bela postagem.
Beijo e bom f.s. amigo

jorge vicente disse...

E é um autor extremamente inteligente, profundo e tocante. E também remete para outros autores que, embora não ligados à espiritualidade, remetem para ela: Walter Benjamin e a ideia da História, o conceito grego da temporalidade kayros - temporalidade do Aqui e Agora, etc.

Muitos, muitos beijos
Jorge

RUTE disse...

Olá Jorge!
Finalmente vim ver da página do poeta, e adorei este artigo atual.

Estamos habituados a olhar para O TEMPO como uma recta, um vector que vai do passado para o futuro. No entanto, os fisicos quanticos afirmam que O TEMPO não é linear, mas sim circular e em espiral ascendente.

Do nascimento à morte, quase que os extremos da circunferência se tocam, e o circulo se fecha, mas assim que termina a fase final da vida presente, essa ponta ascende e continua em uma vida futura. Como se estivessemos observando uma mola.

Dai que, no fundo, as vidas são praticamente repetição umas das outras, tendo no entanto diferenças notórias, as tais que possibilitam a evolução, ou a ascensão da espiral.

Beijinhos.
Rute

jorge vicente disse...

eu calculava que tu ias adorar o artigo :D

Neale Donald Walsch é um dos meus autores favoritos!

Um grande beijinho
Jorge

tecas disse...

Excelente post, meu grande amigo poeta Jorge. Magnífico.O Tempo ...do grande Neale Donald. Beijinho amigo, uma flor e bom fim de semana.

jorge vicente disse...

Muitos beijinhos, querida amiga! E um belo fim-de-semana para ti!

Jorge