30.9.11

a verdade



(fotografia de colleen plumb, "dear sweatshirt", s/d). retirada daqui.


"Os sentimentos não são negativos nem destrutivos. São simplesmente verdades. A forma como exprimes a tua verdade é que interessa.

Quando exprimes a tua verdade com amor, raramente ocorrem resultados negativos ou prejudiciais e, quando estes acontecem, é normalmente porque outra pessoa decidiu experienciar a tua verdade de uma forma negativa ou prejudicial. Nesse caso, provavelmente nada há que possas fazer para evitar o desfecho.

Certamente que não exprimir a tua verdade dificilmente seria apropriado. No entanto, as pessoas fazem-no constantemente. Tanto medo têm de causar, ou de se defrontarem, com algo possivelmente desagradável que escondem completamente a sua verdade.

Lembra-te disto: Não se compara a importância de uma mensagem ser bem recebida com a de ser bem enviada.

Não podes assumir a responsabilidade pela forma como outra pessoa aceita a tua verdade; só podes assegurar-te de que ela é bem comunicada. E quando digo bem, não quero apenas dizer com que clareza; quero dizer, com que afecto, com que compaixão, com que sensibilidade, com que coragem e de quão completamente.

Isto não deixa lugar para meias verdades, para a «verdade brutal» nem mesmo para a «verdade nua e crua». Significa mesmo a verdade, toda a verdade e nada senão a verdade, assim Deus vos ajude.

É a parte do «assim Deus vos ajude» que traz as qualidades Divinas do amor e da compaixão - porque ajudar-vos-ei sempre a comunicar desta forma, se Mo pedirem.

Portanto sim, exprimam o que chamam os vossos sentimentos mais «negativos», mas não de uma maneira destrutiva" (1)

neale donald walsch



(1) WALSCH, Neale Donald - Conversas com Deus: livro 2. 5ª ed. Cascais: Sinais de Fogo, 2002. ISBN 972-8541-10-4. pg. 40, 41.

3 comentários:

jorge vicente disse...

Excelente mensagem num divino texto, meu amigo poeta, Jorge.
A verdade...tem tantas verdades:-)
Bjito amigo em teu coração e bom fim de semana.

Teresa Gonçalves

especiedemagia disse...

Jorge,

bolas, ando eu às voltas com esse livro (o 1ª) e com a forma que tenho de dizer as verdades e levo com o teu post em cheio no coração.

tudo menos coincidências

obrigado pela mensagem, sinto que foi feita também para mim.

Tiago

jorge vicente disse...

tiago,

foi com certeza! não há coincidências!

um grande abraço!
jorge