19.3.09

PoPoetry



(imagem do filme jeremiah johnson, de sydney pollack, com robert redford)


1.

(para o david fernandes, a hope sandoval e a rachel goswell)


perguntas-me se alguma vez escrevi poemas
com gente dentro ou se era apenas a voz da
linguagem a inventar nomes, lugares, sons,
a emoção no dedilhar dos dedos plenos

(como todos os livros ensinam)

perguntas-me se alguma vez haverá algum
homem como johnny ou se o velho ethan
encontrará paz num qualquer lugar bem
longe de monument valley

(talvez seja este o lugar dos sonhos)

perguntas-me se alguma vez escrevi
poemas de amor ou se as pessoas
(as vozes dentro do poema) existiam

como existe o silêncio crescente das neves

perguntas-me o que fica por detrás
mas o velho jeremiah nunca pensou sequer
em palavras quando dormia junto com as
estrelas

jorge vicente

8 comentários:

alice disse...

junto das estrelas está este teu poema. fiquei a pensar no tanto que os livros ensinam. na neve. nos personagens que mencionaste. é bom ler-te e isso ser um filme dentro da minha cabeça :) um grande beijinho, jorge.

isaias de faria disse...

para o poeta o que lel cria sempre existe na sua totalidade. mesmo ele sabendo que não. adorei o poema, jorge, muito bem estruturado criativo e belo. até mais, abraço, isaias

Mª Dolores Marques disse...

Qando se é na totalidade não há mais nada e nem as palavras nos tomam a jeito...


Lindo o teu poema Jorge

Envia-me por mail o endereço da biodanza...

Bjs

jorge vicente disse...

os livros ensinam-nos tantas coisas. e as pessoas. e as personagens. e a neve, a clara neve...

um grande beijinho, minha amiga
jorge

jorge vicente disse...

obrigado, isaías. muito obrigado.

um grande abraço transatlântico
jorge

jorge vicente disse...

obrigado, amiga.

as palavras são a minha vida, a minha totalidade, mas também os abraços, os beijos, as músicas, o sol, o mar...

um grande abraço e beijinho
jorge

cacos poéticos disse...

Não perder o silêncio crescente das neves, das estrelas, nem tampouco das
palavras... Belo poema! No Brasil este filme tem o título de:
Mais forte que a vingança. Ótimo!
Parabéns!
Abraços!

jorge vicente disse...

nunca podemos perder esse silêncio
nem essas neves
nem essa alvorada de estrelas

só assim a palavra poderá ser escrita e cantada.

um grande abraço para si
jorge