7.1.09

a necessidade da doença



(instalação de jenny holzer na times square, "untitled from the survival series", 1986)


"A doença dá às pessoas «autorização» para fazer coisas que de outro modo se inibiriam da fazer. Pode tornar mais fácil dizer que não a encargos, deveres ou tarefas indesejados ou a exigências de outras pessoas. Pode servir de autorização para fazer o que sempre se quis fazer mas esteve sempre «demasiado ocupado» para começar. Pode permirtir a uma pessoa tirar algum tempo para reflectir, meditar e traçar uma nova rota. Pode servir de desculpa num fracasso. Pode tornar mais fácil pedir e aceitar amor, exprimir os sentimentos ou ser mais honesto de outra forma. Até uma constipação tem significado. Muitas vezes a sua mensagem é «tens trabalhado de mais. Vai para casa e trata de ti.» Lembre-se que somos criados com «dias de baixa», não com «dias de saúde». Tire uns dias para preencher as suas necessidades e não precisará de uma doença.

Uma vez que a doença física atrai habitualmente a simpatia de amigos e familiares, pode ser uma maneira de adquirir amor, ou carinho. Pode tornar-se a única forma de o paciente se relacionar com o mundo, o único controlo que se tem da vida."

bernie s. siegel


(1) SIEGEL, Bernie S. - Amor, medicina e milagres. 1ª ed. Lisboa: Sinais de Fogo, 2004. ISBN 972-8541-47-3. pg. 152.

1 comentário:

Arabica disse...

Jorge,


é bem verdade.

Muitas são as pessoas, que nestes tempos de silêncio e de falta de tempo, se vão usando de algumas pequenas doenças para reterem nelas alguma atenção,que de outro modo não teriam.

Pequenos pecados, facilmente perdoáveis :)

Outros, há, que doentes, seguem em frente e talvez por isso, como um vendaval que à sua volta, nada deixa no mesmo sitio.

Somos todos tão diferentes!

Há quem não consiga sequer lidar com a "pena" que imagina que os outros vão sentir dele e por isso mesmo, se escondem através de uma couraça de força e coragem.

Ah se a vida pudesse ser ensinada :)