12.12.08

boris pasternak



(quadro de joseph scharl, "femme du monde (society lady)", 1949)


"A grande maioria é obrigada a viver uma vida de duplicidade constante e sistemática. A saúde tem de ser afectada quando, dia após dia, se diz o contrário do que se sente, se rasteja diante do que se detesta e se rejubila com o que nada traz senão azar. O nosso sistema nervoso não é apenas uma ficção, faz parte do nosso corpo físico e a nossa alma existe no espaço e está dentro de nós, como os dentes estão na boca. Não pode ser eternamente violado com impunidade." (1)

boris pasternak


(1) PASTERNAK, Boris apud SIEGEL, Bernie S. - Amor, medicina e milagres. 1ª ed. Lisboa: Sinais de Fogo, 2004. ISBN 972-8541-47-3. pg. 99.

2 comentários:

Luis Eme disse...

sem dúvida, não há corpo e alma que resista, Jorge.

abraço

Arabica disse...

A derradeira, cega e destruidora "traição do eu"...


Um beijo, Jorge.