17.10.08

a noite abrir-nos-à



(quadro de luigi loir, "midnight mass", circa 1890)


2.

ontem, matei um homem. nada mais do que isso. nenhuma cintilação dos ossos. nenhuma ânsia em experimentar o que quer que fosse. apenas o desejo íntimo de incriar através do sangue. toda a morte é uma procriação ao contrário. vive-se e entra-se de novo na vida. a vida de dentro.

nenhum poema escrito dará a entender o que quer que seja. nenhuma palavra cortada às fatias, como se de sílabas fosse feito o corte. e o sangue. apenas um homem. e a história milenar de todos os homens que habitaram dentro dele. para quê a vida se todos os outros se poderiam libertar.

nada, mas mesmo nada é deixado ao acaso. a sombra é o reflexo do astro. e o astro é o reflexo da faca deixada no lugar da humanidade.

jorge vicente

11 comentários:

A Mesa de Luz disse...

uau! gostei muito :)

jorge vicente disse...

it's my shadow poetry. o meu lado noctívago :)

M. disse...

Completamente surpreendida. Adoro!
uma reviravolta na escrita Jorge? espera-se uma nova Ascensão do Fogo desta vez em forma de prosa fragmentada? Ler-te hoje assim trouxe-me tanta nostalgia,eu que nunca mais peguei no lápis da mesma maneira..

simplesmente arrepiante de belo e sentido

beijo

jorge vicente disse...

amiga, não será uma grande reviravolta já que eu tenho vários textos em prosa.

aliás, houve um momento em que eu escrevia maioritariamente prosa poética.

a reviravolta é mais a atmosfera. já não tão luminosa, mas a explorar aquilo que se convencionou chamar o nosso lado-sombra que, se bem explorado, poderá ainda ser mais luminoso.

um abracinho grande
jorge

isabel mendes ferreira disse...

Muito BOM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!





abraço.

Mié disse...

Belíssimo!


_____é de noite na hora das sombras mortas que a única face se revela.


"nada, mas mesmo nada é deixado ao acaso."

é a minha fé!!

Gostei imenso.íssimo.

Um beijo

bom fim de semana

romério rômulo disse...

jorge:
estive aqui em caminhada pela
poesia.
um abraço.
romério

TMara disse...

VISCERAL ATÉ AO INOMINÁVEL LUGAR DE NÓS K DESIGNAM: ALMA.
BJS E BOA SEMANA
LUZ E PAZ

Bandida disse...

absoluto! gostei muito, poeta, muito!!!



beijo

Carla disse...

de negro vestidas estas palavras...mas "incriar" é, de alguma forma criar em nós a expectativa de podermos ser criadores do nosso próprio universo!
beijos

mundo azul disse...

...bem, seu texto pode ter mais de uma interpretação... Li-o como uma morte emocional...

Gostei!!!

Beijos de luz...