24.9.08

Lançamento do nosso livro em lisboa, 27 Setembro (Jorge Vicente e José Gil)‏



Meus queridos amigos,

como bem sabem, lancei o meu primeiro livro Ascensão do Fogo no dia 26 de Abril, em Vila Nova de Gaia. Agora, alguns meses depois, este será apresentado em Lisboa, na Livraria Trama, sita na Rua São Filipe Nery, nº 25B, bem junto ao Rato. A data de apresentação do livro será no próximo sábado, dia 27 de Setembro, pelas 21.30.

Conjuntamente comigo, será apresentado também o livro de poesia do actor, encenador e poeta José Gil, já um velho companheiro das escritas. O livro chama-se Fractura Possível.

Em princípio, o meu livro será apresentado pelo jovem poeta Rui Sousa, um dos principais contribuidores da fanzine Actéon, da qual também faço parte. A apresentação do livro do Gil estará a cargo do poeta José Félix.

O momento musical estará a cargo de Fernando Dinis, jovem compositor e, também, poeta. Foi editado em 2003 pela Hugin Editores (Dá-me-te) e já publicou em várias antologias de poesia. Tem um blog (http://www.ficoatetardenomundo.blogspot.com/) e um site no myspace (http://profile.myspace.com/index.cfm?fuseaction=user.viewprofile&friendID=123494151).

Serão declamadas poesias dos livros pelos autores, por outros poetas e por quem se ousar a desbravar as palavras através do som.

O meu muito obrigado
Jorge Vicente

11 comentários:

batista disse...

parabéns! do lado de cá fica o desejo sincero que o lançamento tenha a acolhida por ti esperada.

deixo um abraço fraterno.

Mié disse...

daqui

os meus mais sinceros parabéns aos dois e

tudo de bom. Que os vossos poemas voem muito...muito!

A poesia está VIVA!

um beijo

M disse...

querido Jorge, mais um lançamento.. eu a sorte que já ter a "Ascensão do Fogo" nas mãos graças a ti e deves saber de certeza que adorava ir e não posso.. Mas sei que vai correr bem e que terás de novo aquele momento especial que tanto te preencheu no primeiro lançamento. Muitas muitas felicidades Jorge.

Beijo imenso

M.

jorge vicente disse...

muito obrigado, amiga. muito obrigado.

um beijinho
jorge

R. Rudoisxis disse...

Olá Jorge
Não podia deixar de passar por aqui para agradecer a visita e comentário no Sidadania. O lançamento de um livro é um momento importante na vida de um homem,tão importante como o seu nascimento, pois se este lhe dá a vida o livro dá-lhe a eternidade e a vida para além da morte fisica.
Não poderei estar presente no dia do lançamento devido à hora mas passarei por lá depois, pois da R. do Sol ao Rato por onde páro, à Filipe Nery é um pulinho. Os teus dotes literários já me foram amplamente enaltecidos por uma amiga comum, pois a partilha que gostaste de ver e apreciaste lá pelo blogue, vai muito para além do que é visivel. Um grande abraço e toda a sorte do mundo neste lançamento.

isabel mendes ferreira disse...

Jorge....

recebi o convite. que agradeço.

lastimavelmente não pude mesmo ir.


desculpa-me.


espero que tenha corrido muito BEM!.

ps.


Guardo o teu sorriso.

na palma da minha mão. encantada por te ter conhecido.


a.b.r.a.ç.o.

Cássio Amaral disse...

Daqui rezei e torci por você amigo.

Correria e diários pra preencher.

Grande abraço e sucesso sempre.

jorge vicente disse...

isabel,

também eu guardo o teu sorriso. e as tuas palavras. sempre.

um b.e.i.j. o.m

jorge

jorge vicente disse...

cássio,
foram poucas pessoas desta vez. mas valeu tanto a penas. as palavras voaram e voaram.

um abraço forte
jorge

musqueteira disse...

viva! muitos parabéns. irei comprar o livro;)

LEIA SILAS Literatura Contemporânea disse...

Nunca Estarei Só (Poema Querendo Ser Letra de Blues)

“Escrever é preciso
Viver não é preciso”


Apesar de às vezes me sentir numa caverna do cosmos
Com o peito entrevado por causa das amarguras da vida
Nunca estarei só pois minha alma ainda habita a poesia
E de lá trago celestidades que alimentam meu ser carente.

Quando eu quero respirar música na minha alma nau
(Tempos de solidão e de tristeza que não são desse mundo)
Então eu leio um poema ou escrevo uma letra para blues
E coloco para fora do espírito todas as teias de sofrimento.

É como compor um blues quando se pensa em se matar
Porque a arte é uma libertação, e escrever algum poema
Deixa o rastro de nossa existência com toda sensibilidade
Na tábua de carne da terra ainda precisando de muita luz.

Nunca estarei só pois os poemas me fazem companhia
Habito um espaço letral que me refrigera e me revigora

Meu reino não é desse mundo. Como um poeta lusonauta
Vou compondo a minha página de rosto na sobrevivência.

-0-

Silas Correa Leite, Itararé, Cidade Poema
E-mail: poesilas@terra.combr
Blogues: www.portas-lapsos.zip.net
Ou: www.campodetrigocomcorvos.zip.net
Poema da Série “Éramos Blues”