9.5.08

"canção do semeador" (miguel torga)



(fotografia de judy dater, "self-portrait with stone", 1981)

"Na terra negra da vida,
Pousio do desespero,
É que o Poeta semeia
Poemas de confiança.
O Poeta é uma criança
Que devaneia.

Mas todo o semeador
Semeia contra o presente.
Semeia como vidente
A seara do futuro,
Sem saber se o chão é duro
E lhe recebe a semente." (1)

miguel torga



(1) TORGA, Miguel - Canção do semeador. O Gorgulho. Boletim Agrícolo sobre Biodiversidade Agrícola. Lisboa. Ano 4, nº 8 (Inverno de 2008), p. 19.

5 comentários:

M. disse...

Dir-se-ia que Miguel Torga adivinhara o futuro. Hoje o poema encaixa tão bem no problema que a humanidade enfrenta com a destruição da terra. Hoje também não sabe a natureza do chão. E a semente encontra-se a germinar no imprevísivel.

Um beijo para ti

Graça Pires disse...

A lucidez de Torga.
Um abraço.

scaramouche disse...

parabéns pelo blog.

Paula Raposo disse...

Razão que tem Miguel Torga!! Beijos

jorge vicente disse...

Concordo contigo, M. Foi essa uma das razões que me levou a colocar aqui o poema de Torga.

Outro beijinho para ti
Jorge