19.3.08

os direitos das mulheres, segundo allan kardec



(quadro de Rufino Tamayo, "Luna Y Sol", 1990)

"(...)
a) assim sendo, uma legislação, para ser perfeitamente justa, deve consagrar a igualdade dos direitos do homem e da mulher?

«dos direitos, sim; das funções, não. preciso é que cada um esteja no lugar que lhe compete. ocupe-se do exterior o homem e do interior a mulher, cada um de acordo com a sua aptidão. a lei humana, para ser equitativa, deve consagrar a igualdade dos direitos do homem e da mulher. todo privilégio a um ou a outro concedido é contrário à justiça. a emancipação da mulher acompanha o progresso da civilização. sua escravização marcha de par com a barbaria. os sexos, além disso, só existem na organização física. visto que os Espíritos podem encarnar num e noutro, sob esse aspecto nenhuma diferença há entre eles. devem, por conseguinte, gozar dos mesmos direitos»" (1)

Allan Kardec



(1) KARDEC, Allan - O Livro dos Espíritos. 90ªed. Brasília: Federação Espírita Brasileira, 2007. ISBN 978-85-7328-086-9. p. 428.



interessante como allan kardec dizia estas coisas em 1857...

2 comentários:

alice disse...

sabes, amigo, a meu ver qualquer ano era bom para que este assunto nem sequer tivesse que ser assunto.

as pessoas, independetemente do sexo, têm todas os mesmos direitos.

um grande beijinho

Luís Galego disse...

este texto merece uma (re)leitura...acredito na paridade e penso que já era tempo...