2.1.08

Reveillon na Serra da Estrela



(imagem do grupo)



(José Pedro Reyes no terraço)



(o Rio Zézere, junto à casa)

Há quem se sinta renovado depois de um fim-de-semana bem agitado, há quem se sinta renovado depois de um concerto, depois de um passeio bem disposto com os amigos. Há quem se sinta renovado escrevendo, pintando, desenhando, atirando os seus problemas para o universo e esperando que ele retribua, mesmo sabendo que essa retribuição depende muito da nossa capacidade de aceitar o que nos acontece.

E, existem também aqueles que se sentem renovados cada vez que um ano passa, cada vez que existe aquela passagem, um pouco artificial, mas verdadeira, de um ano para o outro. Muitas das vezes, a passagem é inautêntica. Fazemos aquilo todos os anos, festejamos, temos as nossas esperanças e elas acabam no próprio minuto em que o ano começa. Provavelmente, ainda não descobriram a imensa capacidade que têm dentro deles e o imenso amor/amizade que podem dar às pessoas.

Ora, esta passagem de ano foi uma das coisas mais maravilhosas que me aconteceram. A partilha foi enorme, a capacidade de amar, aceitar, perdoar, dançar, crescer, descobrir as fragilidades, abraçar essas fragilidades e ainda dançá-las, foi maravilhoso. Queria agradecer a todos os que me proporcionaram estes momentos: ao grande José Pedro Reyes, que organizou o evento e que nos proporcionou momentos de partilha maravilhosos, através das meditações, da biodanza, do tantra (yeah!), da boa disposição, da sua humanidade e fragilidade partilhada por todos (és um ser de luz fantástico); à Ana, que nos ofereceu a casa e que, juntamente com a Marta e a anjinha Rita Oom, nos ofereceram manjares deliciosos, sorrisos constantes e abraços de alma que nunca mais esquecerei, à sempre fixe e divertida e fofa e carinhosa Ana Freire, amiga fantástica que nos falou deste evento, à Filipa, amiga maravilhosa e um doce em pessoa, à Virgínia, que não conhecia, mas que só me apetecia abraçar por ser quem é, querida e uma grande alma; à filha do José Pedro e da Rita, Maitê, maravilhosa e fofa; à Simone e ao filho, que também são maravilhosos (a nossa dança das mãos foi uma experiência maravilhosa; às bruxinhas, que são seres fantásticos e cheios de luz; aos gajos do grupo: o João osteopata, que me ensinou muita coisa e me disse para acreditar em mim; ao Pedro que, apesar da calma e da timidez, demonstrou que tem um grande coração e uma grande alegria para dar; ao Jorge, professor de kizomba e de kuduru e de sei lá que mais, que é o máximo; ao Nuno Cachadinha, sempre porreiro; ao Vítor, o nosso cineasta predilecto, etc etc e mais etc. Não consigo nomear toda a gente, todos foram maravilhosos e estarão sempre no meu coração. Aqui e para a eternidade.

Ho!

Jorge Vicente

5 comentários:

Anónimo disse...

obrigada Jorge...
mas só se for no teu lugar o lagar da Poesia.



no meu....só vento e pó.



beijos.


(obrigada pela gentil companhia.) sempre.



.piano.

Marta, a que Ainda prefere estar ao longe disse...

Jorge também para mim foi uma experiência que tenciono Relembrar e Exercitar sempre que o Sorriso teimar
em se fechar e a morna Nostalgia me Abraçar.

Aprendi muito..Com todos voces. Com o Sítio.Comigo. (Re)Aprendi o quão mágico pode ser um abraço dado sem se esperar nada em troca, como é bom Sorrir mesmo quando sentimos Medo pela eventual Dor que a Partilha nos possa vir a causar, mas, sobretudo, como é Sonhar e Acreditar que um dia podemos ser Felizes...porque eu fui, e muito, verdadeiramente Feliz nestes dias que aí passei, como jamais me permiti ser.

Magna Carta Bookshop disse...

Descobri este blog na "A Mesa de Luz" e achei este post lindo. Aí está um grande exemplo de uma passagem de ano perfeita, com pessoas a partilhar (e a partilharem-se)num cenário idílico.

Reparei também que tens a "Albergaria Bética" na tua lista de locais predilectos. Uma grande amiga minha, que já não vejo há algum tempo, trabalha lá como recepcionista.

Yoga disse...

Lindas imagens :)

dia 1 de fevereiro lá estarei na serra da Estrela para a 4ª edição do SwáSthya Yôga na Neve.

Abraços

Anónimo disse...

Bom dia, faz algum tempo que também passei férias nessas casas mas não consigo encontrar o site ou algum contacto, eram 3 casas e da vossa foto era a maior. Muito bonito mesmo :D Se por acaso me podesse ajudar agradecia. Obrigado

Claudio Andrade - claudiotocha@gmail.com