5.7.07

Sonêto dos Vinte Anos (Lêdo Ivo)



(quadro de Cameron Martin, "Under The Sun Every Day Comes And Goes", 2003)

"Que o tempo passe, vendo-me ficar
no lugar em que estou, sentindo a vida
nascer em mim, sempre desconhecida
de mim, que a procurei sem a encontrar.

Passem rios, estrêlas, que o passar
é ficar sempre, mesmo se é esquecida
a dor de ao vento vê-los na descida
para a morte sem fim que os quer tragar.

Que eu mesmo, sendo humano, também passe
mas que não morra nunca êste momento
em que eu me fiz de amor e de ventura.

Fêz-me a vida talvez para que amasse
e eu a fiz, entre o sonho e o pensamento,
trazendo a aurora para a noite escura. (1)

Lêdo Ivo

(1) IVO, Lêdo - Uma lira dos vinte anos. Rio de Janeiro: Livraria São José, 1962. p. 120.

1 comentário:

Lumife disse...

Uma visita já há muito devida. Nem sempre é possível mas não te esquecemos.

Perdeste uma boa festa ( a do Barão...).

Um abraço